sábado, 13 de outubro de 2007

Alguém me explica?


















Que mistérios insondáveis poderão explicar por que razão a Polícia Municipal de Lisboa e a Emel, sempre tão solícitas a multar e a rebocar selvaticamente quem estaciona o carro de forma selvagem na capital, fecham os olhos ao escândalo que se repete todos os sábados à noite na Avenida da Liberdade? As imagens que aqui apresento foram captadas há poucos minutos do meu telemóvel. E o que apresento aqui não aconteceu hoje por acaso ou por qualquer ocasião especial. O cenário que ali vimos repete-se todos os sábados, há mais de três anos, desde que o Hard Rock Café abriu as portas no Rossio e La Feria começou a encher o seu Politeama.
A partir do meio da avenida da Liberdade, os condutores estacionam, sistematicamente ao sábado à noite, o carro em cima dos passeios da faixa central da avenida. Sim, aqueles largos passeios que o ex-presidente Santana, que o ex-presidente Carmona e que agora o presidente Costa querem que seja dos lisboetas.
Hoje, em pleno Rossio, vários polícias municipais estavam pelas ruas em vigilância, bloqueando carros em frente ao Palácio Foz (não fosse algum alto quadro do Estado querer trabalhar à meia noite...), mas fechando os olhos, de uma forma tão absurda como aviltante, às dezenas de carros estacionados com as quatro rodas nos passeios da Avenida.
Mais espantoso ainda: à mesma hora, na Rua Jardim do Regedor, ali mesmo no Rossio, um incauto condutor tinha parado o carro encostado a uma parede para rapidamente ir buscar uma pizza a um restaurante. Pois lá estava a carrinha da Polícia Municipal, toda computorizada, com os seus bempostos agentes tratando de ver os documentos da viatura, mais a carta de condução, mais os euros em troca dos quais a viatura seria desbloqueada.
Que raio de moralidade é esta? Que justiça é esta? Que polícia é esta? Que interesses são estes? Porque razão ninguém quer estragar o negócio ao Hard Rock Café e ao La Feria e me estragam a vida a mim e a qualquer outro cidadão se, durante o dia da semana, enquanto trabalho, me esquecer de ir lá pôr o talãozinho da ordem do parquímetro?

4 comentários:

TG disse...

Tens toda a razão! Na sexta-feira vi o mesmo que tu viste e esta situação repete-se todos os fins-de-semana. Há uns anos (era Santana Lopes primeiro-ministro) em conversa com o então presidente da Câmara de Lisboa, Carmona Rodrigues, perguntei-lhe por que razão não se colocavam pilaretes na Av. da Liberdade para impedir este triste espectáculo que é ter carros em cima do passeio de calçada à portuguesa na mais emblemática avenida da cidade e do País. Ele respondeu que os pilaretes prejudicavam os invisuais e que era muito caro. Fiquei esclarecido quanto à vontade daquele autarca para resolver esse problema... Vamos ver se António Costa acaba com isso. É que eu fui rebocado perto de minha casa ainda esta semana... sem grande razão aparente, apenas porque mudaram o lado onde se pode estacionar de um dia para o outro. E eu acho muito bem que se seja implacável com estacionamentos em cima de passeios e em segunda fila. Mas pelos vistos, parece que a tolerância zero não chegou à principal avenida da capital

Anónimo disse...

Ora até que enfim que alguém fala deste assunto. É um escândalo. Apoiado!

feio disse...

Penso que terá ajudado, e muito, o concerto de Caetano Veloso no Coliseu dos Recreios...

Nuno Azinheira disse...

Sim, Feio, talvez tenha ajudado. Mas todas as sextas e sábados a coisa se repete... E Caetano só há um...